Uma pedra que toca hard rock

A ciência de dados está evoluindo rapidamente e, com isso, a sonificação vem ganhando espaço.

Sonificar dados é uma forma de transmiti-los; neste caso, por via sonora, a fim de entender dados complexos demais para a compreensão visual. E não é de hoje que esse processo é realizado: por exemplo, os gregos compunham a partir de formas geométricas e, nos anos 30, o compositor e teórico da música Joseph Schillinger propôs um sistema matemático para a música, uma espécie de música de computador antes da existência do computador.

Portanto, cientistas sempre exploraram o potencial dos sons como ferramenta para observação e investigação. 

A sonificação pode ser considerada a transformação das relações de dados em relações percebidas em um sinal acústico, com o objetivo de facilitar a comunicação. Já nasceu com caráter interdisciplinar, integrando acústica, design, artes e engenharia.

Um trabalho bem interessante nessa área vem da USP, pela iniciativa do professor Caetano Miranda, pesquisador do Instituto de Física (IF) da universidade. Eles constroem música com base no som encontrado em algum material!

Assim, o projeto mais recente do grupo do professor Caetano foi feito a partir da transformação da sílica em coesita. A sílica é um material presente no vidro ou peças eletrônicas que compõem o celular que, quando submetido a alta pressão, gera o mineral coesita. Ele aproveitou este estudo, voltado a entender o processo de transformação da sílica em coesita, e resolveu sonificar o mineral.

E, segundo o professor, acabou produzindo um “hard rock”. Quer ouvir? Aqui segue o link. Incrível, não? 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *