Balbúrdia do bem

Um comentário do ministro da Educação gerou insatisfação imediata de parte da opinião pública. A autoridade afirmou que iria cortar recursos de universidades que promovessem a balbúrdia em seus câmpus. O pior é saber que uma parcela considerável da população acredita nessa afirmação. Um dos motivos para a crença é a polarização política que vem ganhando força nos últimos tempos. 

Diante deste cenário, o Jornal da USP publicou um excelente material intitulado “10 mitos sobre a universidade pública no Brasil”. Navegando pela página, em vez de balbúrdia, encontrei foi muita inovação e arte. 

Descobri, por exemplo, que 90% da produção científica nacional vem das universidades públicas. E que só a Unicamp tem 603 empresas-filhas em atividade, faturando mais de R$ 48 bilhões por ano. Além disso, li que 10 dos 16 fundadores de empresas “unicórnios” nacionais se formaram na USP. 

Claro que existem problemas, como em todo lugar, e de forma pontual. Mas há muitos outros motivos para a gente se orgulhar de nossas universidades em vez de acreditar nos exageros espalhados por aí. Viva a balbúrdia da ciência!

•foto: Baim Hanif

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *